Home
Saiba Mais...
Ardora
Hot Potatoes
Testes
Textos
Visite
Aprendo_Cri@ndo
Palmares-PE
 

eXTReMe Tracker

Creative Commons License

Hospedado em
Miarroba

 

 

 

Fisiologia - o estudo das funções

 

Nutrição: a obtenção de matéria e energia para o organismo

      

Para poder sobreviver os organismos vivos necessitam de abastecer-se de substâncias com as quais obtêm energia e materiais para o reparo de seu desgaste.

Se o organismo é jovem, parte desse material é destinada ao crescimento.

Através da nutrição o ser vivo obtém os átomos e as moléculas das substâncias que formam seu corpo.

Chama-se nutriente a qualquer substância essencial à manutenção da vida.

Os alimentos que ingerimos diariamente contêm esses nutrientes que podem ser classificados em macronutrientes e micronutrientes.

Como o próprio nome diz, macronutrientes são aqueles necessários em grande quantidade Os nutrientes necessários em pequenas quantidades são denominados micronutrientes.

 

Com relação à nutrição, os seres vivos podem ser divididos em dois grandes grupos:

os autótrofos e os heterótrofos.

 

Os organismos dotados de clorofila são capazes de realizar o processo conhecido como fotossíntese.

Pela fotossíntese eles transformam as substâncias minerais retiradas do ambiente (gás carbônico, água e sais minerais) em moléculas orgânicas formadoras de seu corpo.

São os organismos autótrofos fotossintetizadores.

Para a transformação das substâncias minerais em moléculas orgânicas é fundamental a energia da luz do Sol, que é transformada em energia química, ficando armazenada nos compostos orgânicos formados.

Algumas bactérias do solo também são autótrofas, só que não usam a energia da luz do Sol, mas sim a energia liberada nas reações de oxidação de minerais.

São os organismos autótrofos quimiossintetizadores, pois usam a energia química para fabricar compostos orgânicos.

Os outros seres vivos (animais, fungos, protozoários, etc.) dependem dos seres autótrofos para obter a matéria-prima necessária à construção de seu corpo e à produção de energia.

São os organismos heterótrofos.

 

Todas as células necessitam de alimentos que utilizam, em parte para obter energia e, em parte, como material de construção. Para os indivíduos heterótrofos, porém, os alimentos não se encontram no ambiente numa forma que lhes permita sua utilização direta pelas células. As grandes moléculas que deles fazem parte terão de ser desdobradas em moléculas menores, e essa é a finalidade da digestão.

 

A Digestão: A Quebra das Moléculas Grandes

 

Dá-se o nome de digestão às transformações químicas por que sofrem os alimentos a fim de serem incorporados e utilizados pelas células.

Tais transformações envolvem a fragmentação e a hidrólise de grandes moléculas, que são reduzidas a moléculas menores, solúveis em água e facilmente absorvíveis pelas células.

 

Podemos dividir o processo digestivo em três etapas.

  • Fragmentação das partículas nutritivas. Consiste na trituração dos alimentos. Para isso alguns animais dispõem de estruturas especializadas. Assim, os mamíferos, os répteis e os peixes dispõem de dentes; as aves utilizam a moela; os equinóides possuem a lanterna-de-aristóteles; os moluscos possuem a rádula; alguns artrópodos utilizam as mandíbulas, etc.

  • Redução das partículas alimentares em produtos solúveis.

  • Absorção dos nutrientes.

 

Há três tipos básicos de digestão: intracelular, extracelular e extracorpórea.

 

A digestão intracelular ocorre no interior de vacúolos do citoplasma (vacúolos digestivos) graças à ação das enzimas dos lisossomos. É um tipo de digestão encontrado em protozoários e células de alguns animais como os coanócitos dos poríferos e os leucócitos e macrófagos dos vertebrados.

 

A digestão extracelular ocorre fora das células, ou seja, numa cavidade (trato digestivo) ou fora do corpo. Esse tipo de digestão é encontrado em anelídeos, nematelmintos, equinodermos, moluscos, artrópodes, protocordados e vertebrados.

 

A digestão extracorpórea acontece nos fungos e aranhas. Esses organismos lançam para fora suas enzimas digestivas e depois absorvem os nutrientes já digeridos. As cobras e estrelas-do-mar pré-digerem seus alimentos.

 

Amara Maria Pedrosa Silva

 

Atualizado em: quarta-feira, 01 de março de 2017